A importância da floresta em pé: como a SITAWI mobiliza impacto positivo para a Amazônia

Com ações baseadas na economia da floresta e no protagonismo de organizações locais, a SITAWI vem construindo uma atuação diversificada para a preservação do bioma mais importante do planeta.

No último dia 5 de setembro, foi celebrado o Dia da Amazônia. Neste marco, diferentes setores da sociedade trazem à tona a reflexão sobre os desafios de preservação da maior floresta tropical do mundo, diante do avanço do desmatamento e suas graves consequências para o ecossistema. Conectada à urgência desses desafios, a SITAWI busca desenvolver e apoiar iniciativas com poder de transformação e geração de impacto na Amazônia, voltadas ao desenvolvimento do território e conservação da sociobiodiversidade. 

Programas Territoriais: construção coletiva para desenvolvimento local e conservação da floresta

O Programa Território Médio Juruá (PTMJ), criado em 2017, tem como objetivo a conservação da biodiversidade e a melhoria da qualidade de vida das populações ribeirinhas e indígenas do Médio Juruá, uma região de alta importância ecológica e social no estado do Amazonas. A SITAWI está à frente da coordenação da iniciativa, que atua através da implementação de um plano de desenvolvimento territorial elaborado em conjunto com o Fórum Território Médio Juruá. O organismo conta com a participação de empresas, órgãos de proteção ambiental e associações das comunidades ribeirinhas – detentoras do conhecimento tradicional e guardiãs da floresta em pé. 

Dessa forma, o PTMJ desenvolveu um modelo de gestão inovador, onde a governança e a articulação entre múltiplos atores contribui para a expansão das iniciativas de uso sustentável dos recursos naturais e aumento da resiliência das comunidades locais. Assim, o Programa abrange projetos em diferentes eixos: do manejo de pirarucu e produção em sistema agroflorestal, educação, acesso à energia até a melhoria dos sistemas de comunicação. 

Em 2020, ao final de seu terceiro ano de implementação, o Programa Território Médio Juruá totalizou R$16,8 milhões mobilizados, a conservação de mais de 919 mil hectares e mais de 2,5 mil pessoas com melhorias socioeconômicas.

Saiba mais sobre o Programa Território Médio Juruá. Acesse o Relatório PTMJ 2017-2021 e o estudo  “Amazônia no Século XXI: capital natural, desenvolvimento sustentável e justiça social”

Plataforma de Empréstimo Coletivo: inovação para expansão do Investimento de Impacto

Outra iniciativa da SITAWI para mobilizar capital para o impacto positivo na Amazônia é a Plataforma de Empréstimo Coletivo. Criada em 2019, a plataforma tem o objetivo de democratizar o investimento de impacto e, ao mesmo tempo, apoiar empreendedores que trabalham para criar um mundo mais equitativo, valorizando a economia da floresta e a geração de renda para suas comunidades.  

Operando através do modelo de peer-to-peer lending, no qual uma pessoa empresta dinheiro diretamente para outra pessoa ou empresa de forma digital, a Plataforma permite que investidores pessoas físicas possam investir de forma alinhada a seus valores. Esse mecanismo possibilita o financiamento de uma ampla gama de negócios de impacto a taxas de juros abaixo do mercado.

Através de Rodadas de Investimento de Impacto já apoiamos 11 negócios da Amazônia com impacto ambiental e social que demonstravam dificuldade de acesso a capital para desenvolver suas atividades. Eles fazem parte de uma rede de empreendedorismo socioambiental que já é realidade na região, e que busca novos investimentos para consolidar sua atuação. Selecionados por meio de um processo de diligência e mensuração de impacto realizado pela SITAWI, os empreendedores também recebem apoio técnico e consultoria para gestão dos negócios durante todo o período do empréstimo. Entenda como funciona aqui.

Quer investir em negócios de impacto socioambiental positivo? Acesse a Plataforma de Empréstimo Coletivo e saiba como!

Gestão de Fundos Filantrópicos: soluções eficientes para iniciativas filantrópicas colaborativas

Através dos Fundos Filantrópicos, a SITAWI utiliza sua expertise em gestão financeira para viabilizar e alavancar iniciativas socioambientais, podendo unir recursos de diversos doadores: pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou internacionais. Uma das principais características desse modelo é o uso flexível dos recursos, que se adequa à estratégia de cada iniciativa: cada fundo tem objetivos de impacto social ou ambiental almejados e estes são acordados entre o instituidor e a SITAWI.

Com a chegada da pandemia da COVID-19, esses mecanismos se mostraram uma solução eficiente para fazer os recursos chegarem rapidamente na ponta, apoiando instituidores de fundos com uma gestão eficaz e transparente. Na Amazônia, foi fundamental a atuação conjunta com importantes atores locais para alavancar ações filantrópicas com foco na saúde, segurança alimentar, bem como na defesa da Amazônia e sua população.

Um exemplo disso é o fundo PPA Solidariedade: Resposta à COVID-19 na Amazônia, que alcançou mais de 1,5 milhão de pessoas em campanhas educativas contra o contágio do coronavírus, distribuiu mais de 20 mil cestas básicas e kits de higiene à população, além de 1,2 milhão de máscaras. Além disso, para incentivar a economia local, 21 negócios sustentáveis receberam mais de R$1,5 milhão em empréstimos a juros baixos. A iniciativa é uma parceria entre a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), a USAID, a NPI Expand a NPI Expand, a Palladium e a SITAWI, e buscou atender o território da Amazônia Legal Brasileira, especialmente os estados do Amazonas e do Pará.

Quer direcionar recursos financeiros a causas sociais e ambientais de forma flexível, eficiente e transparente? Entre em contato