Clima e Desenvolvimento

1 de novembro de 2019

As mudanças climáticas representam um risco potencial para setores da economia e para a sociedade. Estima-se que até R$ 43 trilhões em ativos no mundo estejam sob risco climático pelo aumento de temperatura até 2100.

Ao mesmo tempo, a transição para uma economia de baixo carbono pode mobilizar recursos e favorecer o crescimento de determinados setores em economias emergentes como o Brasil. A agenda climática é, portanto, uma agenda de desenvolvimento. Como tal, cabe sua incorporação à estratégia de instituições financeiras de desenvolvimento (IFDs).

A publicação “Clima e Desenvolvimento: a importância da questão climática para as instituições financeiras de desenvolvimento no Brasil” discute a relação entre mudanças do clima e desenvolvimento, apresentando oportunidades financeiras e riscos físicos e de transição para o setor financeiro. Também traz uma perspectiva sobre como as IFDs brasileiras vêm lidando com este tema e referências para avanço nesta agenda.