US$ 694bi em títulos verdes no mundo, US$ 2,4bi no Brasil

Climate Bonds Initiative e SITAWI lançam ‘Análise de Mercado em 2016: Títulos de Dívida e Mudança Climática’ em São Paulo

Mercado de Títulos Verdes e Climáticos atinge $694 bilhões globalmente e $2,4 bilhões no Brasil.


São Paulo e Londres, 28/07/2016: A Climate Bonds Initiative, em parceria com a SITAWI, lançará o relatório ‘Títulos de Dívida e Mudança Climática: análise do mercado em 2016’ no dia 02 de Agosto, em São Paulo. O lançamento será realizado no fórum ‘Potencial de Investimentos no Brasil pós COP 21’.

A edição brasileira, publicada em português e em inglês, analisa todos os títulos verdes e climáticos (green bonds / climate bonds) no mercado brasileiro entre 1º de janeiro de 2015 até 31 de maio de 2016.

O estudo aponta as opções de desenvolvimento para o mercado de capitais e de títulos verdes, além de identificar as oportunidades na transição para uma economia de baixo carbono e resiliente às mudanças climáticas.

Os principais destaques da edição brasileira são:

  • Em 31 de maio de 2016, o total de títulos climáticos no Brasil era de US$ 2,4 bilhões, dos quais 23% eram compostos por títulos verdes rotulados, ou seja, aqueles que são identificados e promovidos desta maneira pelos emissores.
  • 54% dos títulos climáticos estão ligados ao setor de transporte ferroviário, tais como transporte público, trens urbanos e metrô, sendo 46% destes referentes ao transporte ferroviário de carga.
  • O setor de energia é o segundo maior emissor, com 23% das emissões, incluindo energia eólica e outras fontes renováveis. O maior emissor de títulos climáticos relacionados à energia foi a CPFL Renováveis.
  • O tema Multissetorial foi responsável pelos 23% restantes do volume de emissões, incluindo os US$ 549 milhões em títulos verdes rotulados da BRF, do setor de alimentos, que foi o primeiro título verde rotulado emitido por uma empresa brasileira no exterior. Os recursos captados estão sendo destinados a projetos de eco-eficiência operacional, como redução do consumo de água, energia e tratamento de resíduos.
  • Foram identificados os principais setores que podem alavancar o crescimento econômico do país e acelerar sua transição para uma economia de baixo carbono, ajudando o país a alcançar sua contribuição apresentada às Nações Unidas (INDC).
  • Existem grandes oportunidades para fomentar práticas sustentáveis nos setores de agronegócio, florestal e papel e celulose no Brasil. O setor de energia (excluindo grandes projetos hidroelétricos), incluindo fontes renováveis e eficiência energética, também possui o potencial para o financiamento de longo prazo via títulos verdes com foco em infraestrutura.
  • Com o objetivo de superar a baixa liquidez do segmento de títulos corporativos, foi destacada a importância dos reguladores do mercado de capitais e de fundos de pensão.
  • Os bancos de desenvolvimento, bancos comerciais, municípios e associações empresariais também possuem um papel importante para estimular o mercado.
  • O relatório também destacou a primeira emissão de títulos verdes da Suzano Papel e Celulose, de US$500 milhões, realizada em Julho/2016.

Justine Leigh-Bell, Diretora de Desenvolvimento de Mercado, Climate Bonds Initiative:

“O Brasil é um importante ator nas negociações sobre as mudanças climáticas globais. O lançamento do relatório em São Paulo reflete a importância do país na transição para economias de baixo carbono de acordo com os compromissos da COP21.”

“A edição brasileira identifica o enorme potencial dos títulos verdes como mecanismo de financiamento de baixo carbono nos setores de agronegócio, florestal, papel e celulose e energia renovável. Melhorias na infraestrutura urbana nos setores de transporte, eficiência energética e água também são potenciais áreas para o investimento de títulos verdes de longo prazo.”

“O maior desafio atual é criar condições que aceleram o fluxo de investimento verde, garantindo aos investidores um retorno de longo prazo estável. Um mercado local de títulos verdes robusto pode ajudar a atingir essas metas.”

Gustavo Pimentel, Diretor, SITAWI:  

“O governo brasileiro já anunciou o desejo de atrair capital privado para o desenvolvimento de infraestrutura, visando reduzir a atual dependência do BNDES e alavancando o mercado de capitais. Títulos verdes são uma excelente solução, pois liberam capital para investimento em novos ativos verdes. O Brasil está quase pronto para surfar esta onda, e nós da SITAWI estamos felizes em poder contribuir para a educação do mercado e assegurar os benefícios verdes e climáticos dos ativos financiados por green bonds.”

John Liu, Chief Investment Officer, Zurich Seguros:

“Como investidores de longo prazo, seguradoras podem desempenhar um papel relevante na  transição para uma economia de baixo carbono, mais sustentável. Na Zurich, vemos títulos verdes  como uma peça crítica neste cenário. O relatório “Títulos de Dívida e Mudança Climática” da CBI é  um ótimo recurso para todos aqueles que querem entender melhor a oportunidade representada  pelos títulos verdes, principalmente para investidores de renda fixa, tais como as seguradoras.”

Ricardo Rochman, professor do Departamento de Economia, FGV:

“O mercado de capitais é uma importante fonte de financiamento para as empresas. De acordo com o relatório da Climate Bonds Initiative, o Brasil tem muitas possibilidades para endereçar os desafios de liquidez e reduzir as assimetrias fiscais, assim como desenvolver o mercado local de green bondse a economia de baixo carbono. Neste contexto, a academia tem um relevante papel em prover soluções para endereçar esses desafios.”

Denise Hills, Superintendente de Sustentabilidade, Itaú Unibanco:

“O Brasil possui um papel importante nas negociações sobre as mudanças climáticas globais e significativas oportunidades em investimentos de baixo carbono.”

<FIM> 

Notas para Editores:


Sobre a Climate Bonds Initiative: A Climate Bonds Initiative é uma organização sem fins lucrativos que busca promover o investimento em larga escala na economia de baixo carbono.

Sobre a SITAWI: A SITAWI Finanças do Bem é uma organização social de interesse público (OSCIP) que mobiliza capital para impacto socioambiental positivo.

O 5º relatório “Análise do Mercado em 2016: títulos de dívida e mudanças climáticas” foi comissionado pelo HSBC Climate Change Centre of Excellence, dando continuidade ao seu apoio de anos anteriores. O relatório é produzido anualmente pela Climate Bonds Initiative, e as edições anteriores podem ser encontrados aqui. O relatório de 2016 foi lançado no início de julho, em Londres. Mais informações disponíveis aqui.

Escopo do relatório: Durante a fase de pesquisa, foram utilizados dados da Bloomberg. A Climate Bonds Initiative analisou mais de 1.700 emissores para descobrir quais possuíam mais de 95% da sua receita derivada de ativos benéficos ao clima. A partir dos títulos destes emissores foi construída a base de dados utilizada na elaboração do relatório.

Este relatório anual é a única análise mundial de títulos climáticos globais, isto é, quais títulos estão sendo utilizados para financiar infraestrutura de baixo carbono e resiliente às mudanças climáticas, incluindo títulos que são rotulados como “verde”, bem como títulos que estão financiando soluções climáticas, mas que não possuem um rótulo.

A edição brasileira inclui um capítulo específico sobre o potencial do mercado de títulos verdes no Brasil, publicada em Português e Inglês, o qual será lançado formalmente no dia 2 de Agosto. Cópias preliminares podem ser disponibilizadas sob demanda.

A edição brasileira foi escrita e traduzida para o português com apoio da SITAWI.

Perfil:  Justine Leigh-Bell

Justine é a Diretora de Desenvolvimento de Mercados da Climate Bonds Initiative. Passou a maior parte de sua carreira auxiliando líderes empresariais e governos a encontrar soluções para os desafios globais das mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável.

Já prestou consultoria para uma série de instituições globais e governos da Europa, África, Índia, Indonésia e América Latina. Suas áreas de especialidade incluem desenvolvimento sustentável em economias emergentes, estratégias para mitigação/adaptação às mudanças climáticas, financiamento climático, avaliação econômica e instrumentos de mercado para gestão de ativos de recursos naturais.

Na Climate Bonds Initiative, tem como foco principal os mercados emergentes, onde trabalha em colaboração com os setores público e privado no desenvolvimento de políticas nacionais e guias de investimento que permitam o acesso ao financiamento de títulos verdes. Atualmente, lidera os projetos da CBI na América Latina, com programas de desenvolvimento de mercado em andamento no Brasil, México e Colômbia.


 Perfil:  Gustavo Pimentel

Gustavo Pimentel é Diretor da SITAWI. Foi eleito o melhor Analista Socioambiental para investidores na pesquisa global Extel IRRI 2015. Possui 12 anos de experiência assessorando instituições financeiras e empresas a incorporar questões socioambientais na estratégia, gestão, análise de riscos e avaliação de investimentos.

Em 2014, a SITAWI organizou o primeiro evento sobre Títulos Verdes no Brasil e, em 2016, escreveu o primeiro parecer de segunda opinião para uma emissão de título verde doméstica. Atualmente, está desenvolvendo um Guia de Títulos Verdes para Emissores Brasileiros comissionado pelo CEBDS e Febraban.

Gustavo é economista pela UFRJ com MBA pela IE Business School.


Universo de títulos climáticos brasileiros em maio de 2016: Círculo interno: total de títulos climáticos divididos por setor. Círculo externo: divisão das tecnologias climáticas de acordo com o % de participação no total de títulos climáticos, por exemplo: transporte ferroviário de carga representa 46% do total de títulos climáticos.

Disclaimer: A informação contida nesta comunicação não consiste em recomendações de investimento e a Climate Bonds Initiative e a SITAWI não são consultorias de investimentos. Links para sites externos são apenas para fins de informação. A Climate Bonds Initiative e a SITAWI não assumem nenhuma responsabilidade pelo conteúdo dos sites externos. A Climate Bonds Initiative e a SITAWI não estão aconselhando sobre o mérito ou não de qualquer investimento. A decisão de investimento é exclusivamente sua. A Climate Bonds Initiative e a SITAWI não assumem qualquer responsabilidade por qualquer tipo de investimentos feitos por qualquer indivíduo ou organização, nem pelos investimentos realizados por terceiros em nome de um indivíduo ou organização.