Um novo olhar para a Amazônia: Programa Território Médio Juruá contribui para a conservação de 1 milhão de hectares

Com um modelo inovador de colaboração intersetorial e governança local,  ao longo de três anos, o PTMJ mobilizou R$16,8 milhões para iniciativas de alto impacto voltadas ao desenvolvimento sustentável da região do Médio Juruá 

No coração do Amazonas, a região do Médio Juruá – território de extrema importância ecológica com uma vasta área contínua de floresta tropical conservada – apresenta uma valiosa trajetória de esforços em prol do uso sustentável dos recursos naturais e do cuidado com a biodiversidade. Devido à essa história de luta,  a governança local e o exuberante e importante ecossistema, o território recebeu o título de Sítio Ramsar, nomeação internacional que reforça a recomendação para que as medidas de proteção existentes sejam reforçadas e ampliadas.

Reconhecendo a importância de implementar estratégias sólidas e escaláveis para o desenvolvimento sustentável da região Amazônica, a SITAWI, com o apoio da USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional), da Natura e da Coca-Cola, assumiu o papel de coordenação de um Programa Territorial voltado para a região do Médio Juruá. 

Uma das principais marcas diferenciais do PTMJ é a bem sucedida integração com atores locais, como associações, órgãos governamentais de proteção ambiental e diversas lideranças das comunidades ribeirinhas, potencializando ainda mais o protagonismo e o conhecimento dessas populações. Com esse modelo de atuação, ao longo de três anos, o programa mobilizou R$16,8 milhões e impactou positivamente a vida de mais de 3.500 pessoas, gerando melhores condições socioeconômicas, contribuindo para a conservação da biodiversidade e aprimorando a gestão territorial de mais de 919 mil hectares.

Através do seu Plano de Desenvolvimento Territorial, o PTMJ partiu do propósito central de escalar o impacto de iniciativas nas esferas social, ambiental e econômica. Para isso, a articulação com o Fórum Território Médio Juruá e a adoção dos Indicadores de Progresso Social (IPS)¹ foram fundamentais para determinar os eixos prioritários de atuação para os 3 anos do PTMJ, que são: (1) Ecossistemas, biodiversidade e cadeias de valores sustentáveis; (2) Educação; (3) Energia; (4) Comunicação e (5) Monitoramento, estudos e assessoria institucionais.

No eixo de cadeias de valor, foram implementados projetos como o manejo sustentável do pirarucu, uma das principais atividades econômicas da região, proporcionando aumento na geração de renda e qualidade de vida das famílias de 28 comunidades. Já o beneficiamento de oleaginosas, impactou 38 comunidades, expandindo e aperfeiçoando essa atividade, resultando em 19 toneladas de óleos produzidas e comercializadas de forma justa.

Vale ressaltar que todas as iniciativas do PTMJ foram implementadas graças à colaboração e ao trabalho de associações locais e organizações não governamentais como a ASPROC, ASMAMJ, AMECSARA, FAS e AMARU, e de importantes parceiros estratégicos, como o ICMBio e o DEMUC/SEMA.

Assim, o impacto do PTMJ trouxe não somente resultados diretos para a conservação da biodiversidade e melhoria da qualidade de vida das populações locais, como também demonstrou ser uma referência em gestão para desenvolvimento sustentável e governança territorial na Amazônia. O sucesso na coesão e construção colaborativa entre os setores envolvidos gerou um legado de aprendizados e reafirma a o propósito de instituições comprometidas em inserir os impactos sociais e ambientais no centro da pauta e da tomada de decisões.

Para mais informações e resultados completos do Programa Território Médio Juruá, clique aqui e acesse o Relatório Final 2017-21.

¹ O Índice de Progresso Social (IPS) mede o progresso social de forma independente do desenvolvimento econômico em 3 dimensões (Necessidades Básicas, Fundamentos de Bem-Estar e Oportunidades), trazendo um diagnóstico sobre estes aspectos, apontando para as prioridades de atuação, metodologia e criação de um Fórum de Desenvolvimento Local que planeja as ações a partir da leitura e análise dos indicadores. Mais informações: socialprogress.org e ipsamazonia.org.br