Suzano capta R$ 1 bi com título ‘verde’ no Brasil

Por Felipe Marques e Paula Selmi

A fabricante de celulose Suzano concluiu ontem uma captação de R$ 1 bilhão em certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) com uma amarra importante: a empresa se compromete a usar os recursos apenas em projetos de impacto positivo para o meio ambiente.

O compromisso será monitorado por uma auditoria independente e é semelhante ao assumido quando uma empresa emite “green bonds” no mercado externo. A própria Suzano já havia emitido, em julho, US$ 500 milhões em “green bonds” no exterior. A diferença agora é que se trata de uma captação “verde” com investidores locais, a primeira do tipo, diz Marcelo ­­Bacci, diretor-executivo financeiro da empresa.

Trata-se da quarta operação com certificados de recebíveis do agronegócio feita pela companhia, embora as anteriores não tivessem as características de “títulos verdes”. Foi também o CRA com menor taxa no histórico da empresa, 96% do CDI, com vencimento de oito anos e opção de repactuação no quarto. A emissão foi feita com esforços restritos de colocação (instrução 476 da CVM). No último CRA de quatro anos que emitiu, a taxa foi de 98% do CDI.

“O risco de crédito da Suzano melhorou desde a última emissão, mas o fato de ser um título ‘verde’ também ajudou a reduzir a taxa”, afirma Bacci. O CRA é um instrumento isento de imposto, que tem como lastro uma operação relacionada à cadeia do agronegócio.

A Suzano tem amplo portfólio de atividades que podem servir para justificar novas emissões, diz Bacci. A lista inclui florestas replantadas ou compradas e investimentos em energias renováveis. A Suzano gasta cerca de R$ 800 milhões anuais para replantar áreas derrubadas para a fabricação da celulose.

Artigo publicado originalmente no Valor Econômico: http://www.valor.com.br/financas/4790243/suzano-capta-r-1-bi-com-titulo-verde-no-brasil