SITAWI e UBS promovem noite especial para o empreendedorismo de impacto

A SITAWI Finanças do Bem realiza, em parceria com o UBS, seu segundo jantar e leilão de vinhos para alavancar recursos e impulsionar as Finanças Sociais e Negócios de Impacto no Brasil. O evento acontecerá no dia 25 de setembro, no Bistrot Parigi, localizado no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo.

A SITAWI e o UBS acreditam em investimentos que multiplicam impacto através de projetos e negócios sociais por todo o país. A união das duas organizações busca criar uma plataforma de comunicação para fomentar o tema e dar luz ao impacto positivo gerado por organizações em diferentes campos de atuação: saúde, educação, direitos humanos, acessibilidade, inclusão, entre outros. Todo o recurso proveniente do Leilão será destinado a projetos de incentivo ao impacto socioambiental positivo no Brasil, apoiados pela SITAWI.

DSC_8474O evento conta também com a realização da cerimônia de premiação do Visionaris – Prêmio UBS ao Empreendedor Social para apoiar o trabalho de empreendedores sociais de destaque. Em 2018, o tema do prêmio é “Melhorando a Escalabilidade”. Nesta edição, Gastromotiva, Instituto Horas da Vida, Solar Ear e Turma no Jiló, foram as entidades finalistas.

Mais de 100 convidados acompanharão de perto a cerimônia de premiação e participarão do Leilão de Vinhos em benefício das iniciativas da SITAWI, que apresentará vinhos excepcionais doados por colecionadores, como Château Mouton Rothschild 1966 Premier Grand Cru Classé, Château Latour 1977 Premier Grand Cru Classé e Quinta do Sibio – José Duarte d’Oliveira 1893. Os vinhos leiloados foram recolhidos, transportados e, durante o período em que se aguardava a data do leilão, devidamente acondicionados em adegas climatizadas.

Jorge Lucki, um dos maiores conhecedores de vinhos do país, Renato Moysés,  leiloeiro oficial e fundador do Super Bid, e Ana Maria Carvalho Pinto, especialista em eventos dessa natureza, formam o time de experts da noite. Deixamos aqui também um agradecimento especial ao nosso Patrocinador Prata Hugo Leonardo Escritório de Advocacia. E aos nossos apoiadores: Art des Caves, Bistrot Parigi, Casa Alvares e Galeria dos Vinhos.

A SITAWI acredita que mecanismos financeiros podem e devem ser usados para impacto social positivo. Assim, em 10 anos, foram mais de 100 operações, entre empréstimos e investimentos socioambientais, que permitiram que as organizações tivessem capital para realizar as suas iniciativas e gerar impacto socioambiental positivo na sociedade. Desde sua fundação, a SITAWI já alocou mais de R$20 milhões para o setor social no Brasil, alcançando mais de 300 mil pessoas em várias dimensões de educação à geração de renda.

Sobre a SITAWI:

A SITAWI Finanças do Bem é uma organização pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para impacto social e na análise da performance socioambiental de empresas e instituições financeiras. Fundada em 2008, possui como missão de mobilizar capital para impacto socioambiental positivo.A SITAWI conta com escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo. Saiba mais em: www.sitawi.net.

Sobre o Prêmio Visionaris:

Como demonstração de seu compromisso com a sociedade, o UBS criou o Visionaris – Prêmio UBS ao Empreendedor Social para apoiar o trabalho de empreendedores sociais de destaque. Com essa finalidade, o UBS AG se associou no ano de 2004 à Ashoka, organização internacional fundada em 1980 com o propósito de colaborar para a profissionalização dos empreendedores sociais ao redor do mundo. Para o UBS, um empreendedor social é uma pessoa extraordinária que possui visão, criatividade e determinação de um empreendedor de negócios, mas usa essas qualidades para projetar soluções sistêmicas no intuito de atacar problemas sociais complexos.

O tema do Visionaris 2018 é “Melhorando a Escalabilidade”: alcançar o impacto social não significa apenas iniciar um modelo que funcione. Uma vez que uma empresa social tenha demonstrado o seu sucesso, a ampliação do modelo operacional bem-sucedido torna-se imperativa. Este ano, o objetivo é identificar empreendimentos sociais que geraram um impacto social comprovado de forma inovadora e projetar um modelo viável, efetivo e sustentável para escalar seu modelo de intervenção. O objetivo é que o prêmio econômico recebido através do Visionaris seja usado pelo vencedor para implementar este modelo. Saiba mais em http://ubs-visionaris.com.br/

Conheça os projetos finalistas do Prêmio UBS Visionaris 2018:

– Gastromotiva – David Daniel Hertz

A Gastromotiva desenvolve projetos que utilizam a gastronomia como ferramenta para beneficiar pessoas em situação de vulnerabilidade social. Por meio de treinamento rigoroso e gratuito com método pedagógico que enxerga além da tecnicidade, tem seu foco na integralidade do ensino e no humano. Para todos os jovens capacitados, são ofertadas vagas de trabalho na rede de restaurantes que apoia a Gastromotiva e, desde 2006, mais de 3,5 mil alunos já foram formados pelo curso de capacitação em cozinha no Brasil. A organização também tem atuação na África do Sul, em El Salvador e no México.

– Instituto Horas da Vida – João Paulo Nogueira Ribeiro

O Instituto Horas da Vida oferece gratuitamente serviços e produtos de saúde (consultas, exames e óculos) para beneficiários de organizações sociais parceiras que atuam nas áreas de saúde, educação e cultura. Nesse sentido, conecta beneficiários de organizações sociais a uma rede de parceiros formada por hospitais, laboratórios, sociedades médicas, indústria farmacêutica, universidades, óticas e farmácias. Desde 2013 ofereceu o equivalente a 3 milhões de reais em serviços de saúde.

– Turma do Jiló – Carolina Resende Videira

A Turma do Jiló atende escolas públicas do município de Santana do Parnaíba, em São Paulo, com um programa próprio de educação inclusiva. As ações da organização permitem a remoção de barreiras físicas e comportamentais que impedem a inclusão de todos os alunos, inclusive os com deficiência. Através da música são desenvolvidos os conceitos de diversidade e inclusão; oferece às famílias assessoria jurídica e psicológica; e adequa o espaço escolar para que este torne-se acessível. Desde sua fundação em 2016, 5 mil alunos e famílias foram  beneficiados, mais de 250 professores capacitados e 7 escolas de ensino fundamental atendidas.

– Solar Ear – Howard Weinstein

A Solar Ear desenvolve produtos e processos para combater e mitigar os efeitos da perda de audição em países em desenvolvimento, da detecção do problema à produção e distribuição de aparelhos auditivos recarregáveis por meio da energia solar. As compras de insumos para produção dos aparelhos é centralizada pela matriz e os aparelhos são montados por trabalhadores surdos em franquias sociais a fim de integrá-los ao mercado de trabalho. O modelo de distribuição dos aparelhos varia de acordo com a realidade de cada país, podendo ser realizada pelo poder público, clínicas privadas ou microempreendedores.