O mercado de Títulos Verdes no Brasil

Títulos verdes: Entenda o que são, como podem ser emitidos e quais os benefícios desse instrumento financeiro. Conheça também as tendências de mercado.

Os Títulos Verdes (green bonds) são instrumentos de dívida como debêntures, Letras Financeiras, CRA, LCA, FIDC etc. que se comprometem a financiar ativos verdes ou que visem a mitigação das mudanças climáticas. Os participantes do mercado de títulos verdes incluem, além dos participantes usuais do mercado de títulos de dívida, agentes de avaliação externa, que atestam, por meio de um parecer independente, os atributos ambientais positivos dos projetos para os quais os recursos captados serão destinados.

Parecer de Segunda Opinião e apoio à certificação de Títulos Verdes

A SITAWI é a única organização brasileira com experiência na elaboração de parecer de segunda opinião de títulos verdes. Este parecer constitui uma avaliação das credenciais verdes do título, garantindo que os recursos serão destinados para projetos verdes, além de analisar a performance socioambiental do emissor e dos projetos a serem financiados pelo título. Também assessora seus clientes para obterem a certificação dos seus títulos pela Climate Bonds Initiative (CBI), serviço realizado em conjunto com a Vigeo Eiris.

Em 2017, a SITAWI elaborou cinco pareceres favoráveis para emissão de títulos verdes, totalizando R$ 444 milhões em emissões.  No total, desde de 2016, assessorou a emissão de sete títulos verdes no Brasil que levantaram R$ 1.6 bilhões para projetos de energia renovável alternativa e manejo florestal sustentável.

Desenho de Framework de Títulos Verdes

Em 2017, a SITAWI assessorou o Bancóldex, banco de desenvolvimento da Colômbia, no desenho de seu Framework de Título Ver-de, documento que define os quatro princípios baseados no Green Bond Principles (GBP) que o banco deve seguir na utilização

dos recursos obtidos por meio do Título Verde, e que demonstra: (i) quais projetos poderão ser financiados pelo título de dívida, (ii) o processo para seleção e avaliação de projetos, (iii) a forma de gestão dos recursos e, (iv) o padrão de relato da performance ambiental do título de dívida. A emissão do Bancóldex, de USD 68 milhões, realizada em agosto/2017 na Bolsa da Colômbia, foi a primeira do tipo no país.

ISO 14030

A SITAWI, junto com a FEBRABAN e a Sust4in, foram nomeados pela ISO e ABNT como especialistas brasileiros do grupo de trabalho para elaboração da norma ISO 14030, que busca criar um padrão para que títulos de dívidas sejam considerados “verdes”. A primeira reunião do GT ocorreu em Paris. A SITAWI foi nomeada coordenadora do grupo brasileiro de especialistas e estará presente nas reuniões internacionais do tema. A previsão de lançamento da norma é 2019.

Desenvolvendo o mercado

A SITAWI segue como maior referência nacional em Títulos Verdes, atuando em vários grupos de trabalho no tema, como a Iniciativa Brasileira de Finanças Verdes (CBI / CEBDS) e na coordenação do GT Títulos Verdes do LAB (BID / CVM).

Em 2018, também desenvolverá um projeto inovador junto ao Instituto Clima e Sociedade (iCS) para fomentar emissões pioneiras de títulos verdes, com alta adicionalidade climática. Ao longo do ano será lançada uma publicação com modelos de emissão de alta adicionalidade climática e pilotaremos um Fundo de Fomento para apoiar emissões pioneiras que cumpram os critérios de alta adicionalidade climática.

O que são títulos verdes?

Títulos Verdes (Green Bonds para o mercado internacional) são Títulos de Renda Fixa utilizados para captar recursos com o objetivo de implantar ou refinanciar projetos ou ativos que tenham atributos positivos do ponto de vista ambiental ou climático. Os projetos ou ativos enquadráveis para emissão destes títulos podem ser novos ou existentes e são denominados Projetos Verdes.greenbonds_02

Os Títulos Verdes caracterizam-se, também, por financiarem projetos ou ativos de longo prazo, tornando-se uma alternativa importante para estimular e viabilizar iniciativas e tecnologias com adicionalidades ambientais positivas nos diferentes tipos de organização e também para atrair investidores institucionais, tais como fundos de pensão, fundos de previdência, seguradoras e gestores de ativos de terceiros (asset managers).

Esses títulos representam instrumento importante para estimular o desenvolvimento sustentável e a destinação de recursos para a mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Segundo a Climate Bonds Initiative, em setembro de 2016 havia um saldo de mais de US$ 140 bilhões em Títulos Verdes rotulados globalmente, enquanto outros US$ 576 bilhões representavam títulos não rotulados, ou seja, títulos que teriam potencial para serem verdes mas que não foram assim considerados.

Desta forma, as principais características adicionais de um Título Verde em comparação aos títulos convencionais são: o uso dos recursos em Projetos Verdes e a promoção do atributo ambiental dos títulos junto aos investidores.

Materiais sobre o tema de Títulos Verdes

>> Guia para Emissão de Títulos Verdes no Brasil 2016

O projeto foi conduzido pelo Grupo de Trabalho de Green Bonds da FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos e pela Câmara Temática de Finanças Sustentáveis do CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável e teve apoio técnico da SITAWI Finanças do Bem e do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (GVces). [Baixe aqui]

>> Títulos de dívida e mudanças climáticas: Análise de Mercado 2017Estudo_Montado_baixa

Realizado pela Climate Bonds Initiative com o patrocínio do HSBC a edição brasileira do estudo “Títulos de Dívida e Mudanças Climáticas: Análise de Mercado 2017” contou com a participação da SITAWI Finanças do Bem como parceira de conteúdo e do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID como patrocinador. O relatório analisa como títulos de dívida estão sendo usados para financiar a transição para uma economia de baixo carbono. [Baixe aqui]