Nova versão do Guia de Descarbonização de Portfólios traz ferramentas e estudos de caso nacionais e internacionais

A SITAWI acaba de lançar a segunda versão de seu Guia de Descarbonização de Portfólios. O guia tem como objetivo apresentar a investidores profissionais (gestores e proprietários de ativos) a importância da descarbonização de portfólios e as etapas dentro deste processo, incluindo a mensuração da emissão de gases de efeito estufa (GEE) referente a um portfólio de investimentos, estratégias para a descarbonização e formatos de reporte. 

Seu diferencial é a curadoria de ferramentas que visam facilitar a gestão climática de portfólios de investimentos, além de exemplos de trabalhos conduzidos no primeiro ciclo do IPC – Investidores pelo Clima, incluindo o desenvolvimento de produtos de investimento com o olhar climático e a campanha de engajamento de companhias de capital aberto brasileiras.

“O Fórum Econômico Mundial considera as mudanças climáticas um dos principais riscos econômicos globais. Porém, com as mudanças climáticas, também se abrem oportunidades de retornos ajustados aos riscos superiores. O Guia explora estratégias de gestão ativa e passiva de portfólios, soluções disponíveis no Brasil e cases nacionais e internacionais de investidores que conseguiram endereçar a descarbonização em suas carteiras de investimentos”, comentou Rafael Gersely, Especialista em Finanças Sustentáveis da SITAWI e líder do IPC.

O IPC – Investidores pelo Clima é uma iniciativa da SITAWI Finanças do Bem, com apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), através de seu Programa de Economia de Baixo Carbono. Em 2020, o grupo publicou um compromisso que contou com a assinatura de 7 gestoras que somam 1,7 trilhões em ativos: Bradesco Asset Management, Constellation Asset Management, Quasar Asset Management, BTG Pactual Asset Management, Itaú Asset Management, JGP e Santander Asset Management.

O movimento, que teve início na segunda metade de 2019, é formado por um grupo plural de 15 investidores profissionais brasileiros, entre eles gestoras de recursos, fundos de pensão, seguradoras e family offices, com um patrimônio sob gestão superior a R$ 2 trilhões. Foram seis encontros de discussão e capacitação realizados ao longo do primeiro ciclo, que se renova com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS). 

Baixe o Guia de Descarbonização de Portfólios aqui.