Fundo Agbara promove direitos sociais e inclusão a mulheres negras e indígenas

O Fundo Agbara é o primeiro Fundo Filantrópico para mulheres negras do Brasil. Gerido por mulheres negras, o Fundo tem a missão de potencializar o maior número possível de empreendedoras negras e indígenas, viabilizando a independência financeira e emocional dessas mulheres.

O Agbara atua em três diferentes frentes para atender esse público. Na frente de educação, fornece formações de aprimoramento profissional e formações políticas-cidadãs para mulheres de todo o Brasil. Na frente de aportes financeiros, o Agbara fornece fomentos em dinheiro a no mínimo 4 mulheres empreendedoras todos os meses. Já na frente de assessorias técnicas, auxilia na assessoria aos microempreendimentos das mulheres inscritas.

O Fundo funciona a partir de doações, em que o doador se inscreve e passa a contribuir de forma fixa, por um período mínimo de 12 meses, com a quantia mínima de R$20. Após a arrecadação, são selecionadas, através de um banco de inscrições, mulheres negras ou indígenas que tenham pequenos projetos de empreendimento e sejam residentes da Região Metropolitana de Campinas para receber o fomento em dinheiro, realizados todo mês com valores entre R$600 e R$900.

As mulheres inscritas são avaliadas pelas coordenadoras do Fundo seguindo os critérios de renda, número de dependentes, viabilidade do projeto, alcance do projeto e vulnerabilidade. Após o período da contemplação ocorre a prestação de contas para todos os colaboradores do Fundo e, eventualmente, também ocorrem sorteios de produtos e gincanas entre os doadores recorrentes.

“O Fundo Agbara atende a parcela da população que ocupa os piores índices de inclusão produtiva: metade das mulheres negras não recebe nada pelo seu trabalho, as que recebem, ganham apenas 44% do salário de um homem branco e a elas é reservada a maior parcela dos postos de trabalho informais e insalubres. Mulheres negras foram as primeiras empreendedoras deste país, empreendendo por necessidade e não por oportunidade. Precisamos criar ferramentas para que essas mulheres se desenvolvam e aprimorem seus negócios, fazendo o poder econômico e o poder simbólico circularem e criando uma sociedade efetivamente antirracista!”, declara Aline Odara, idealizadora e diretora executiva do Fundo.

De setembro de 2020 a março de 2021, o Agbara já auxiliou mais de 41 empreendedoras com aportes financeiros e prestou mais de 1.100 atendimentos em suas três frentes de operação. A SITAWI é responsável pela gestão financeira do Fundo, auxiliando na administração e na prestação de contas dos recursos.

Acesse o site do Fundo e acompanhe também as redes sociais: Linkedin, Instagram e Facebook.