Fundo Filantrópico busca potencializar ações e ideias pela proteção do oceano sob o ponto de vista feminino

O Fundo Filantrópico, inserido no movimento Liga das Mulheres pelo Oceano, foi criado para promover o desenvolvimento institucional, gestão de comunidades e desenvolvimento e produção de campanhas do movimento. Entre os principais temas abordados pelo Fundo, estão a crise climática e suas consequências, a superexploração dos recursos marinhos e a poluição dos mares. A SITAWI é responsável pela gestão financeira do Fundo, auxiliando na administração e prestação de contas dos recursos.

A Liga das Mulheres pelo Oceano busca potencializar ações e ideias pela proteção do oceano sob o ponto de vista feminino. Juntas, as mulheres que integram o movimento trocam e produzem conteúdo, reúnem informações para embasar decisões e políticas públicas, criam campanhas temáticas e desenvolvem e apoiam os projetos umas das outras. Os conteúdos produzidos pela Liga ficam disponíveis nos meios digitais como Instagram, no site do movimento e no canal do YouTube.

Segundo informações reunidas pelo Fundo, a saúde do oceano é vital para a saúde do planeta e das pessoas, pois ele é responsável pela produção de metade do oxigênio que respiramos e é fonte diária de alimento para bilhões de pessoas. Além disso, o oceano também regula o clima do planeta e abriga a maior biodiversidade do globo, surgindo então a necessidade de conscientização e preservação. Para alcançar esse e outros objetivos, a temática feminina em que se baseia o Fundo, permite o alcance de soluções coletivas, agregadoras e com objetivos de futuro para todos e todas.

Segundo Paulina Chamorro, cofundadora da Liga, o protagonismo feminino pode reparar os danos à natureza: “A desconexão com a natureza pode ser reparada pelas mãos femininas. Mulheres criam pontes entre lados que podem caminhar juntos, como economia, ecologia, ética, respeito, igualdade e diversidade. Estimulam a criação de uma nova consciência por uma sociedade mais justa e um planeta vivo. Quando abrimos espaço e destacamos o protagonismo que mulheres e oceano têm em diversas frentes como conservação, pesquisa, pesca e comunidades tradicionais, também possibilitamos que outras jovens e mulheres se inspirem e vejam que é possível ter voz. O oceano une povos, nos dá água, alimento e oxigênio. Quando entra em desequilíbrio, também são as mulheres as mais afetadas, por estarem em situação mais vulnerável.”, diz ela.

A Liga busca dar voz à sustentabilidade do oceano e ao protagonismo feminino neste tema, para torná-lo conhecido e valorizado através do esforço coletivo das mulheres. No ano de 2021, o movimento se prepara para fazer coro ao esforço global de dedicação à Década das Nações Unidas da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável, que será realizada de 2021 a 2030. A estruturação do movimento e a propagação da temática do oceano também estão entre os objetivos do Fundo para o ano de 2021.

Saiba mais sobre o movimento.