Finanças Sociais: R$9,3 milhões alocados no setor social até 2016

Tweet about this on TwitterShare on Facebook

O mundo e o Brasil passam hoje por desafios sociais e ambientais. Ao mesmo tempo, existe a certeza de que é necessário atrair mais capital para financiar soluções inovadoras para tais problemas. Famílias, fundações, empresas e governos podem utilizar estratégias híbridas, através do direcionamento de capital público e privado a Negócios de Impacto ou ações que conciliam mecanismos financeiros com o compromisso de gerar impacto social com sustentabilidade financeira. Essas são as chamadas Finanças Sociais.

Finanças Sociais

O Instituto Peabiru, organização dedicada à Amazônia Oriental – Pará, Amapá e Maranhão, teve seu empréstimo quitado em 2016.

A Força Tarefa Brasileira de Finanças Sociais (FTFS), liderança do movimento no país, traçou 15 recomendações para atingir R$50 bilhões movimentados nestes mecanismos até 2020. A SITAWI, como parte da sua Diretoria Executiva junto ao Instituto de Cidadania Empresarial (ICE), acredita que mecanismos financeiros podem gerar impacto social significativo e conduz seu programa de Finanças Sociais com base em três delas: Expansão e Capitalização de Fundos Socioambientais Rotativos; Subcrédito Social do BNDES; e Contratos de Impacto Social.

Fundos Filantrópicos

A gestão de Fundos Filantrópicos permite o direcionamento de recursos de apoio às causas sociais e ambientais de uma forma flexível e eficiente, disponibilizando mais capital para impacto social tanto a partir do apoio de empresas, quanto de famílias filantropas.

Em 2016, a SITAWI geriu 7 Fundos Filantrópicos para institutos, fundações e famílias, sendo 3 deles criados neste ano. Desde 2008, já somam 17 Fundos Filantrópicos geridos, além dos dois Fundos Socioambientais Rotativos. Os temas passam pela educação, inovação social, economia circular, justiça social, empoderamento feminino, responsabilidade social corporativa, meio ambiente, reflorestamento e tecnologia e estão relacionados a diversos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Fundos Socioambientais Rotativos

Ao longo de oito anos, a SITAWI realizou 28 empréstimos socioambientais e 2 investimentos socioambientais para 23 organizações, desembolsando R$4,2 milhões no setor social e alcançando mais de 216 mil pessoas.

Outro mecanismo utilizado pela SITAWI, e o mais utilizado no mundo em termos de valor movimentado*, é o empréstimo socioambiental. Esse instrumento permite o financiamento de uma ampla gama de negócios de impacto, de organizações sociais a empresas tradicionais. No Brasil, a SITAWI é pioneira e proporciona, desde 2008, taxas de juros abaixo do mercado e apoio estratégico para o desenvolvimento de negócios empreendedores.

Ao longo de 2016, consolidamos parcerias importantes com aceleradoras e investidores, aumentando nosso alcance e realizamos o segundo investimento socioambiental de nossa história. Desembolsamos cerca de R$800 mil para cinco negócios de impacto com e sem fins lucrativos em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Contratos de Impacto Social

Com a escassez de recursos públicos e aumento dos desafios do setor público para implementar soluções mais efetivas para garantir os direitos sociais, as políticas e programas baseados em evidência de impacto social vem se disseminando no mundo. O Contrato de Impacto Social (CIS, do inglês Social Impact Bond) é uma ferramenta de contratualização pública para este tipo de programa com pagamento pelos serviços após medição de indicadores de resultado.

Cerca de 50 CIS já movimentaram mais de US$200 milhões globalmente para melhorar os resultados sociais em áreas agudas como a reincidência criminal, o desemprego juvenil, a prevenção da diabetes, da gravidez precoce e da evasão escolar.

O Contrato de Impacto Social é um mecanismo inovador de contratação pública de soluções sociais com financiamento privado e pagamento por resultados, aferidos por um avaliador independente. A SITAWI atua nas fases de desenho e implementação do CIS, assessorando Governos, Investidores e/ou Operadores interessados.


Saiba mais sobre cada um desses mecanismos e confira nossos resultados de 2016 em nosso relatório anual.

baixe o relatorio

Tweet about this on TwitterShare on Facebook