Estudo sobre green bonds é lançado em parceria com a Climate Bonds Iniciative

Um universo de US$694 bilhões em títulos climáticos é o que aponta o estudo “Títulos de Dívida e Mudanças Climáticas: Análise do mercado em 2016”, elaborado pela Climate Bonds Iniciative em parceria com a SITAWI Finanças do Bem. O relatório, lançado no dia 2 de agosto, em São Paulo, identifica e quantifica títulos de dívida que estão sendo usados para financiar infraestrutura de baixo carbono e resistentes à mudança climática.

“O Brasil dispõe de grande potencial para o desenvolvimento de um mercado de títulos verdes (green bonds), dada a sua posição de liderança nas negociações globais sobre as mudanças climáticas e seus talentos naturais nos setores de floresta e papel, agronegócio e energia”, comentou Justine Leigh-Bell, Diretora de Desenvolvimento de Mercado da Climate Bonds Iniciative.

“Energia, agricultura e produtos florestais foram identificados como setores de alto potencial para títulos verdes, mas precisamos aprender na prática que qualquer empresa com ativos ou projetos verdes é elegível. O desafio está posto para as empresas líderes de cada setor”, declarou Gustavo Pimentel, Diretor de Pesquisa da SITAWI.

Para Justine Leigh-Bell, o evento ‘Oportunidades de investimento para o Brasil pós COP 21’ e o lançamento do relatório ‘Análise do mercado em 2016’ reuniram diversos atores relevantes no mercado brasileiro, demonstrando que a dinâmica está lá para os decisores políticos e agentes de mercado locais construírem e desenvolverem condições que acelerem o fluxo de investimento verde no Brasil.

O painel “Uma nova economia para o Brasil pós-COP21” contou com a participação de Denise Hills, Head de Sustentabilidade do Itaú Unibanco, John Liu, CIO da Zurich Insurance, Guilherme Cavalcanti, CFO da Fibria e Ricardo Rochman, Chefe do Departamento de Economia da FGV, com mediação de Gustavo Pimentel.
Confira a publicação completa!