Confira o estudo sobre Financiamento à Energia Renovável

Financiamento à Energia RenovávelO estudo “Financiamento à Energia Renovável”, encomendado à SITAWI pelo Conselho de Líderes do CEBDS, foi pauta no jornal Valor Econômico no mês de Maio. O estudo mapeia barreiras ao financiamento de energias alternativas e aponta soluções para destravá-lo. Confira aqui o material completo.

O crescimento da geração de energia renovável (25% a.a. em média nos últimos dez anos) teve como fonte principal e mais barata de financiamento o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No entanto, dadas as novas condições estruturais e conjunturais da economia brasileira, é imprescindível desenvolver novas fontes de financiamento para permitir o próximo salto nos investimentos em fontes renováveis.

O CEBDS encomendou à SITAWI Finanças do bem o presente estudo para identificar os entraves que impedem ou dificultam o acesso aos recursos disponíveis para financiamentos a projetos de energia renovável e propor soluções para eliminar ou amenizar estas barreiras. Entre as fontes renováveis ditas alternativas (definição que exclui a geração hidroelétrica), a fonte eólica foi a que apresentou o maior crescimento recente, tendo sido favorecida no seu desenvolvimento por câmbio e taxa de juros mais favoráveis quando comparados com os atuais e por ociosidade nos fabricantes internacionais de equipamentos, fatos que contribuíram para levar as usinas eólicas a alcançar um custo de geração próximo ao das hidrelétricas. A geração solar fotovoltaica é a nova fronteira, mas também onde os entraves ao financiamento estão se manifestando com maior urgência: 1,8 GW foram contratados para entrega até final de 2017, gerando necessidade de cerca de R$ 6 bilhões em investimentos neste período, porém há condições ainda pouco favoráveis pela ausência de fornecedores locais, volatilidade do câmbio e fontes de financiamento restritivas. A fonte biomassa, depois de um forte crescimento entre 2008 e 2010, conheceu um período de menor participação no Ambiente de Contratação Regulada.

O estudo tem como objetivo apresentar os principais entraves que dificultam o acesso do setor empresarial ao financiamento à energia renovável e quais as soluções e os instrumentos que podem ser implantados ou desenvolvidos para superação desses desafios.