Estudo faz recomendações à política de responsabilidade socioambiental do BNDES

Encomendado à SITAWI pela Mott Foundation, relatório foi lançado dia 20 de setembro, no Rio de Janeiro

A SITAWI Finanças do Bem lançou, no dia 20 de setembro, o estudo “Caminhos da responsabilidade socioambiental do BNDES“, no Rio de Janeiro. O relatório, financiado pela Mott Foundation, contém análises e propostas para a evolução do desempenho socioambiental do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

A preocupação com os aspectos socioambientais no setor assume papel ainda mais relevante para as instituições financeiras de desenvolvimento, que têm como missão o desenvolvimento sustentável dos territórios onde atuam. Neste sentido, Gustavo Pimentel comenta sobre a importância do engajamento neste âmbito.

Como provedor de recursos financeiros, o setor tem papel indutor para o desenvolvimento sustentável, com mecanismos que garantam a redução de riscos socioambientais das atividades produtivas e fomentem impactos positivos para o meio ambiente e comunidades”, pontuou o diretor de pesquisa da SITAWI Finanças do Bem.

A análise incluiu aspectos relacionados à governança, políticas, processos, instrumentos e recursos utilizados pelo banco, considerando, também, o contexto regulatório e político no qual atua. Segundo Guilherme Teixeira, um dos autores do estudo, algumas das recomendações já vinham sendo encaminhadas pela instituição.

“O estudo traz uma análise do conjunto de instrumentos de gestão socioambiental do BNDES, jogando luz sobre mudanças internas recentes e atualmente em curso, e apontando sugestões para que o banco continue avançando”, colocou Guilherme Teixeira, analista da SITAWI Finanças do Bem.rsa do bndes

O material contou com contribuições de Christian Donaldson, do Bank Information Center, e Alessandra Cardoso, assessora de políticas públicas do Instituto de Estudos Socioeconômicos – INESC. A pesquisa está disponível para download gratuito neste link.

20170316

O evento de lançamento “Responsabilidade Socioambiental para o Setor Financeiro” contou com a participação de representantes do Banco Central, BNDES, Itaú Unibanco, Santander, Rabobank, INESC, IDEC e WWF. Os participantes compartilharam visões e experiências no campo de atuação, trazendo exemplos práticos para o público presente. Confira aqui as fotos.

Para mais informações sobre a publicação, entre em contato com esgresearch@sitawi.net

Sobre a SITAWI Finanças do Bem

Fundada em 2008 com a missão de mobilizar capital para impacto socioambiental positivo, a SITAWI Finanças do Bem é uma organização pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para o setor social e na análise da performance socioambiental de empresas e instituições financeiras. A SITAWI monitora e modela impactos socioambientais nos negócios e aconselha instituições financeiras (bancos, seguradoras, fundos de pensão e gestores de recursos) na incorporação de questões socioambientais em suas estratégias de negócio, desenvolvimento de produtos, análise de riscos e investimentos. Em 2015, foi eleita a 10a melhor casa de pesquisa socioambiental do mundo pela Extel Independent Research on Responsible Investment – IRRI.

Sobre a Fundação Mott

A Fundação Mott é uma instituição filantrópica que trabalha apoiando organizações em projetos vol- tados a uma sociedade mais justa e sustentável. A Mott apoia projetos nas áreas de combate à pobreza, conservação ambiental, desenvolvimento sustentável, educação e engajamento da sociedade civil para um ambiente mais justo.

Sobre o Bank Information Center

O Bank Information Center (BIC) é uma organização sem fins lucrativos e independente, que atua junto à sociedade civil de países em desenvolvimento a fim de influenciar o Banco Mundial e outras instituições financeiras de desenvolvimento a promoverem a justiça social e econômica e a sustentabilidade ambiental. O BIC advoga na defesa de direitos, engajamento civil, transparência e prestação de contas na governança e nas operações de instituições financeiras de desenvolvimento.