Economia de Baixo Carbono. Do que se trata? Qual o papel dos investidores nessa agenda?

Iniciativa da SITAWI com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), o Investidores pelo Clima (IPC) atua na capacitação e engajamento de investidores profissionais buscando o avanço da agenda de descarbonização de portfólios de investimento.

Primeiramente, porque descarbonizar?

De acordo com estudos do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), desde o final do século XIX, a temperatura média terrestre já se elevou cerca de 1,62 ºC. Um dos efeitos mais relevantes desse fenômeno é o aumento na incidência de eventos climáticos extremos, como secas, enchentes e ondas de calor, que podem causar danos às atividades econômicas, à infraestrutura e à saúde da população.

A queima de combustíveis fósseis, geralmente realizada em sua maioria por indústrias e pelos veículos, libera gases de efeito estufa(incluindo o gás carbônico, CO2) para a atmosfera, altamente poluentes e que contribuem para o aquecimento global. A descarbonização é, portanto, a busca pela redução e eliminação ao longo prazo, da emissão de gases de efeito estufa de toda a cadeia de valor econômica, através do engajamento, desinvestimento e geração de oportunidades via tecnologias com baixa intensidade em carbono.

Para reduzir o aquecimento global, foi elaborado o Acordo de Paris, um tratado mundial aprovado por 195 países em 12 de dezembro de 2015, durante a 21ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 21), principal cúpula da ONU para debater sobre questões climáticas. O Acordo tem como objetivo limitar o aquecimento global a menos de 2ºC e reunir esforços para reduzir as emissões e se manter abaixo de 1.5º C em relação aos níveis pré-industriais.

Em 2019, Fred Seifert, líder LAC da SITAWI, foi painelista da sessão “Clean Finance: Are investors pricing climate risks on assets under management?” no âmbito da COP 25, que aconteceu em Madri, na Espanha. O painel discutiu como gestores de ativos incorporam riscos climáticos, tendo ênfase em mercados emergentes.

A COP26 acontece em novembro de 2021, em Glasgow, na Escócia. A expectativa é de que os 195 países signatários do Acordo de Paris (COP 21) não só reforcem, mas também ampliem as suas metas de descarbonização. Mais uma vez, a SITAWI estará presente. Rafael Gersely, CFA e especialista de Finanças Sustentáveis da SITAWI, participa representando a iniciativa Investidores pelo Clima (IPC).

O que é o Investidores pelo Clima (IPC)?

O Investidores pelo Clima (IPC) é uma iniciativa da SITAWI, com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), através do Programa Economia Zero Emissões. A iniciativa é pioneira e protagonista no Brasil no engajamento e capacitação de investidores nacionais para que contribuam com as metas assumidas no Acordo de Paris.

O IPC teve início na segunda metade do ano de 2019 e, atualmente, é formado por um grupo de 30 investidores profissionais brasileiros. Entre esses investidores estão gestoras de recursos, fundos de pensão, seguradoras e family offices, com um patrimônio sob gestão superior a R$3 trilhões que estão sendo capacitados para avançar na agenda da descarbonização de portfólios, enquanto buscam melhores retornos ajustados ao risco.

Como a iniciativa IPC atua?

Atualmente, o IPC atua em 6 frentes de ação. A primeira é através de grupos de discussão com os investidores, onde são promovidas reuniões para capacitá-los em temas específicos da agenda de descarbonização como: análise e mensuração de emissões de gases de efeito estufa de portfólios, estratégias de gestão climática, propriedade ativa e iniciativas internacionais.

Outra frente de atuação do IPC é a divulgação do tema através de artigos publicados em veículos de grande circulação nacional, com o objetivo de fortalecer a agenda no mercado. O IPC também desenvolve guias e ferramentas para auxiliar os investidores, além de produtos e análises climáticas para diversas organizações como: BTG Pactual Asset, FAMA Investimentos, SulAmérica Investimentos e outros. O mais recente guia publicado pela equipe IPC é o Guia de Descarbonização de Portfólios, disponível aqui.

Além dessas frentes, o IPC também atua no engajamento de associações como: ANBIMA, ABRAPP, AMEC,FEBRABAN e CNSeg através de encontros e reuniões e formaliza o Compromisso dos Investidores pelo Clima. O Compromisso já foi assinado por 12 instituições, que buscam atuar de maneira conjunta com o tema da gestão climática de portfólios no Brasil para fortalecê-lo e contribuir com os objetivos assumidos através do Acordo de Paris. Confira o Compromisso IPC.

Para fazer parte da Iniciativa Investidores pelo Clima (IPC), é possível tornar-se membro ativo do Grupo de Discussão de Investidores e/ou assinar o Compromisso Investidores pelo Clima. Outra forma de ingresso é a participação nas Campanhas de Engajamento junto a empresas investidas, participando das reuniões junto a executivos de empresas e contribuindo na gestão de riscos e oportunidades climáticos e seus efeitos sobre os ativos mobiliários emitidos por estas companhias. Se você é um investidor profissional local e quer fazer parte dessa iniciativa, confira mais informações aqui.