Consulta aberta mapeia iniciativas e desafios no campo das Finanças sociais e Negócios de impacto

Organizações e profissionais que atuam no tema podem dar sua contribuição até 30 de novembro quando os dados serão analisados e comporão o relatório de 01 ano do lançamento das recomendações da Força Tarefa de Finanças Sociais
              

São Paulo, 03 de novembro de 2016 – Está disponível no site da Força Tarefa de Finanças Sociais (consulta.forcatarefafinancassociais.org.br) até 30 de novembro, a consulta aberta sobre os avanços, desafios e legislações que contribuíram para o ecossistema de Finanças Sociais e Negócios de Impacto no Brasil, no último ano.

Um ano após o lançamento das 15 Recomendações da Força Tarefa de Finanças Sociais (FTFS), o grupo criado para identificar, conectar e apoiar organizações e temas estratégicos para o fortalecimento das finanças sociais e dos negócios de impacto no Brasil – quer mapear os avanços em cada uma das 15 temáticas estratégicas e discutir desafios e legislações que possam direcionar os próximos passos.

A consulta aberta, seguirá a estratégia adotada no processo de construção das recomendações lançadas em outubro de 2015 que foram baseadas na participação de diferentes atores num processo colaborativo de construção. Para cada uma das Recomendações, haverá espaço para inclusão de ações e comentários sobre os avanços; desafios; e legislações.  Os participantes também poderão curtir e comentar as participações dos demais.

“Os processos de consulta coletiva são parte do “jeito de fazer” da FTFS. A partir dos dados incluídos pelos respondentes, teremos uma fotografia que permitirá entendermos quais pontos requerem mais atenção e quais organizações são parceiras nessa construção”, afirma Célia Cruz, diretora do Instituto de Cidadania Empresarial, organização que faz parte da Diretoria Executiva da Força Tarefa de Finanças Sociais.

Para Leonardo Letelier, da SITAWI Finanças do Bem, que também compõe a Diretoria Executiva da FTFS “é o envolvimento dos diferentes atores (investidores, empreendedores de negócio de impacto, aceleradoras, incubadoras, academia, etc) na construção e no compartilhamos dos resultados e desafios que legitima e potencializa as transformações que buscamos gerar no campo, avalia.

Encerrada a fase de consulta, um relatório final será elaborado com os resultados.

As Recomendações

As 15 Recomendações foram lançadas para serem implementadas em um prazo de cinco anos e seis delas foram priorizadasem 2016: # 1 – Investimento de indivíduos de alta renda em produtos de impacto; #2 –  Protagonismo de Fundações e Institutos; #4 – Uso do subcrédito social do BNDES para Negócios de Impacto (NI); #8 – Fortalecimento de Incubadoras e Aceleradoras para qualificar mais NI; #9 – Apoio do Sebrae aos empreendedores de NI; e # 12 – Promoção da cultura de avaliação.

O processo de construção das Recomendações teve início em agosto de 2014 e foi concluído em setembro de 2015.  O trabalho foi dividido em quatro etapas: elaboração e análise de estudos de referência, consulta a públicos estratégicos, consulta aberta ampliada e consolidação das Recomendações. Os públicos consultados foram a academia, famílias, filantropos, fundações e instituto familiares, empresários, aceleradoras e incubadoras, organismos nacionais de crédito, fundos de investimento e gestores públicos (governo federal e municípios).

A partir dos dados levantados, a FTFS elaborou um conjunto de Recomendações Preliminares que foram enviadas a representantes de diferentes setores e organizações. A etapa final envolveu a análise e priorização das Recomendações com base em sua viabilidade e impacto para o campo.

Para conhecer as recomendações clique aqui: https://goo.gl/Ri8QTs

Sobre a Força Tarefa Brasileira de Finanças Sociais

A Força Tarefa de Finanças Sociais é um grupo que reúne representantes de diversos setores com o intuito de buscar soluções sistêmicas para atrair mais capital para financiar inovações que aliem impacto social e sustentabilidade financeira.  A Força Tarefa atua na criação e disseminação de conceitos claros sobre finanças sociais, na articulação de atores estratégicos e na priorização e acompanhamento de ações de forma a acelerar o crescimento desse campo no país.

Os atuais membros da Força Tarefa são André Degenszajn (GIFE), Daniel Izzo (Vox Capital), Fabio Barbosa (Fundação Itau Social), Guilherme Affonso Ferreira (Bahema participações), Luiz Lara (Lew Lara), Marcos Vinicius de Sousa (MDIC), Maria Alice Setúbal (Fundação Tide Setubal), Rodrigo Menezes (Derraik & Menezes) e Vera Cordeiro (Projeto Saúde &Criança).

A Força Tarefa Brasileira de Finanças Sociais tem um modelo de governança que inclui uma Diretoria Executiva integrada pelo Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) e pela SITAWI, um Grupo de Apoio Contínuo (GAC), formado por diferentes organizações, representantes da academia, do terceiro setor e setor privado, que são instâncias de consulta e decisão sobre os conteúdos produzidos um Comitê Estratégico composto pela Deloitte e Fundação Telefônica e recebe apoio financeiro do próprio  ICE e da Fundação Telefônica, Instituto Península e Lew’Lara\TBWA.

http://forcatarefafinancassociais.org.br/

Sobre o ICE – Instituto de Cidadania Empresarial

O ICE é uma organização da sociedade civil que atua na articulação de líderes e no fomento de iniciativas transformadoras, capazes de gerar impacto social positivo na população de baixa renda. O instituto trabalha no desenvolvimento de processos e projetos de inovação social, com foco na redução da pobreza e da desigualdade socioeconômica no Brasil. O ICE definiu como estratégia de atuação até 2020 o fortalecimento do campo de Finanças Sociais e Negócios de Impacto e tem contribuído para a articulação de diferentes organizações na geração e disseminação de conhecimento e na execução de projetos que fortaleçam atores estratégicos do campo. Site:www.ice.org.br

Sobre a SITAWI Finanças do Bem

Pioneira no campo de Finanças Sociais no Brasil, a SITAWI é uma organização social de interesse público (OSCIP) que atua no Brasil e exterior como uma plataforma de Finanças do Bem operando soluções financeiras inovadoras para impacto socioambiental positivo. A plataforma está estruturada em 4 programas: Finanças Sociais, Finanças Sustentáveis, Cultura Filantrópica e Negócios & Impacto. Desta forma, trabalha para cumprir com sua missão de mobilizar mais capital, mais tipos de capital e seu melhor uso e alocação para transformar mais vida. Em 7 anos de história já geriu 8 Fundos de Empréstimo Socioambiental e desembolsou R$ 6 milhões, favorecendo o fortalecimento da infraestrutura do setor socioambiental no Brasil. É por meio desses 33 projetos beneficiados, em 26 organizações, que a SITAWI já contribuiu com a transformação de 150 mil vidas. Site:www.sitawi.net