Chamada aberta para negócios de impacto da Amazônia

A SITAWI anuncia nova chamada a negócios de impacto socioambiental positivo, desta vez direcionada a organizações que geram renda para as comunidades da Amazônia e valorizam a conservação da floresta. Os negócios selecionados irão participar de uma rodada de investimento pela Plataforma de Empréstimo Coletivo, iniciativa da SITAWI e do Instituto Sabin.

A rodada amazônica acontecerá no contexto da PPA (Plataforma Parceiros pela Amazônia) e tem como parceiros estratégicos e financiadores a USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional), o CIAT (Centro Internacional de Agricultura Tropical) e o Instituto Humanize.

Cada organização poderá captar entre R$ 200 mil e R$ 800 mil através do empréstimo coletivo, que possibilita o acesso a crédito a juros baixos, entre 6,5% e 7,5%, e pagamento em 36 meses, aos negócios de impacto da Amazônia. Além disso, a equipe SITAWI realizará um acompanhamento mensal das organizações, que também terão acesso à nossa rede de mentores e voluntários, alavancando sua expansão e permitindo que impulsionem uma retomada verde da economia após a crise gerada pela pandemia do coronavírus.

“Com esta chamada direcionada a negócios de impacto da Amazônia, a SITAWI quer fortalecer organizações que valorizam a economia da floresta em pé, gerando conservação da biodiversidade e trabalho e renda para as comunidades locais. Entendemos que com acesso a crédito elas possam continuar fazendo a diferença no desenvolvimento sustentável da região e ampliando a economia da floresta”, diz Andrea Resende, gerente de investimento de impacto da SITAWI Finanças do Bem.

As organizações que desejam participar desta rodada podem ter qualquer formato jurídico e é primordial possuírem missão de impacto socioambiental positivo, operação com modelo de negócios viável e capacidade de pagamento. Os interessados podem se inscrever até o dia 08 de janeiro de 2021, e devem preencher um cadastro pela página da chamada.

Seleção dos negócios

A SITAWI realizará os processos de avaliação e seleção dos negócios. As organizações que se encaixarem no propósito dessa chamada passarão por uma análise criteriosa e aprofundada, que contempla os aspectos de finanças, modelo de negócio e impacto.

Entre os critérios financeiros analisados estão o histórico de geração de receita, o fluxo de caixa e o planejamento. Além disso, os analistas da SITAWI fazem projeções financeiras e estudo de sensibilidade de cenários para avaliar a capacidade de pagamento do financiamento e a saúde financeira da organização.

Quanto ao aspecto de negócio, serão avaliados equipe, liderança, capacidade de execução, mercado e modelo de negócios. Em relação ao impacto, a SITAWI estuda tanto a extensão (quantas pessoas serão beneficiadas) quanto a profundidade do impacto (em que medida essa iniciativa muda a vida dessas pessoas). A avaliação também inclui entrevistas com fundadores, funcionários, clientes e beneficiários.

Rodadas anteriores

A Plataforma de Empréstimo Coletivo SITAWI já realizou quatro rodadas de investimento para pequenos negócios de impacto positivo, que no total contribuíram para mobilizar R$ 7,2 milhões em 16 captações. As organizações amazônicas que participaram e já estão usando o valor captado são: a COEX Carajás e a OKA no estado do Pará, a Na’kau e a Pratika Engenharia em Amazonas e a Tucum Brasil com sede no Rio de Janeiro.

As organizações vêm expandindo sua atuação e o seu impacto socioambiental em diversas áreas, como exemplo na recuperação da floresta, na produção e comercialização de produtos sustentáveis, na venda e instalação de painéis solares e na valorização da arte das populações indígenas. Juntos, os cinco negócios contribuem para 9 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.