Coordenação de Programas Territoriais

Programas Territoriais são iniciativas que incluem uma ampla variedade de parceiros e organizações que atuam de forma coordenada para um objetivo socioambiental específico. Com o intuito de coordenar demandas complexas e diferentes agendas, a SITAWI oferece neutralidade e expertise em gestão, possibilitando um olhar estratégico no desenvolvimento do projeto.

Fazemos a gestão programática, técnica, financeira e de impacto destas iniciativas complexas, bem como a conciliação dos objetivos comuns entre os atores envolvidos (iniciativa privada, agências de fomento e desenvolvimento, associações locais e governos) buscando aplicar as intervenções necessárias para atingir os melhores resultados possíveis.

Esta abordagem considera os aspectos essenciais da Teoria de Mudança, onde os resultados esperados de curto e de médio prazo e os impactos de longo prazo constituem o grande legado do programa para a área de influência ou território, visando deixar as bases mais fortalecidas e mais autônomas.

infografico_programas

 

Programa Território
Médio Juruá
USAID_Natura_Cocacola_TMJ
O Programa Território Médio Juruá é uma iniciativa focada na região do Médio Juruá, no município de Carauari, no estado do Amazonas, financiada pela USAID, coordenada pela SITAWI, apoiada pela Natura e Coca-Cola e em parceria com os membros do Fórum do Território do Médio Juruá. Este grupo inclui corporações (Natura e Coca-Cola), ONGs e empresas locais (Associação dos Produtores Rurais de Carauari– ASPROC; Associação dos Moradores Agroextrativistas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Uacari–AMARU; Associação de Moradores Extrativistas da Comunidade de São Raimundo–AMECSARA; Associação de Mulheres Agroextrativistas do Médio Juruá–ASMAMJ; Fundação Amazônia Sustentável–FAS; Cooperativa Mista de Desenvolvimento Sustentável da Reserva do Médio Juruá–CODAEMJ; Açaí Tupã, entre outras) e órgãos governamentais de proteção ao meio ambiente (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade–ICMBio e Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação, Estado do Amazonas–DEMUC), além da própria SITAWI que coordena o projeto e exerce o papel de Secretaria Executiva do Fórum.

O objetivo do programa, que tem duração de 3 anos, é a conservação da biodiversidade, implementando um Plano de Desenvolvimento Territorial para a região, envolvendo uma ampla base de stakeholders para ampliar a escala e o impacto das iniciativas de conservação e de desenvolvimento nas dimensões social, ambiental e econômica. As ações do programa TMJ estão centradas no município de Carauari-AM, especificamente junto às 64 comunidades distribuídas ao longo do rio Juruá e nas Unidades de Conservação RESEX Médio Juruá e RDS Uacari.

O investimento será destinado a ações de educação, saneamento, infraestruturas de energia e informação, acesso à água potável e estudos sobre as cadeias produtivas sustentáveis da região, como açaí, andiroba e murumuru. As atividades ainda incluem o manejo sustentável de pirarucu, a conservação de quelônios, o apoio para consolidar uma casa familiar rural, educação ambiental, sistemas agroflorestais e a pilotagem de sistemas de gestão de resíduos, de energia e de comunicação na região.

Desde a sua elaboração, o programa foi pioneiro e participativo. As prioridades do programa e necessidades da região foram evidenciadas a partir da medição do Índice de Progresso Social – Comunidades (IPS), aplicado na região desde 2015 a partir de uma iniciativa conjunta de Natura e Coca-Cola. O índice baseia-se na metodologia desenvolvida pelo professor e economista americano Michael Porter e mede progresso social sem considerar fatores econômicos. A aplicação em Carauari é inédita no mundo ao utilizar dados primários para avaliação de desenvolvimento socioambiental em nível local. Com o diagnóstico, elaborado com apoio técnico da Ipsos, empresas, órgãos governamentais, ONGs e movimentos sociais puderam alinhar os esforços de investimento na região.

De acordo com uma análise das áreas com maior defasagem entre a média brasileira e o resultado local, as prioridades foram esboçadas em uma série de oficinas participativas que reunia o poder público, setor privado, a sociedade civil e representação das comunidades ribeirinhas. A partir destas demandas locais, a SITAWI elaborou o conteúdo técnico e financeiro, seguindo um processo de co-criação junto a todos os atores envolvidos.

A SITAWI é responsável pela articulação do projeto, coordenação das atividades e informes, avaliação dos resultados e suporte para as organizações locais. O objetivo é deixar um legado para o Médio Juruá que fortaleça e empodere todos que são da região ou trabalham nela.

Para mais informações, leia aqui o boletim do primeiro ano de atividades do Programa Médio Juruá.