Aconselhamento Filantrópico

A SITAWI acredita que nem o governo nem o mercado vão resolver sozinhos todos os problemas sociais ou ambientais e, portanto, uma sociedade civil independente, organizada e desenvolvida é parte fundamental do processo de mudança.

Isso demanda recursos. Isso demanda doações.

A cultura filantrópica é justamente o conjunto de valores e práticas que norteiam as doações em um país. E a melhor prática de filantropia vai além do  exercício ocasional da generosidade ou de vínculos pessoais com causas específicas, mas inclui também  o uso deliberado de recursos à nossa disposição na promoção de um mundo melhor.

Dadas as limitações de abordagens puramente racionais ou puramente emocionais, a SITAWI desenvolveu sua visão própria sobre filantropia:

A FILANTROPIA DE PORTFÓLIO

Tornar-se um doador efetivo – especialmente no caso de indivíduos e famílias de altos recursos – requer a formação de uma visão filantrópica, um norte que oriente a alocação dos recursos observando as preferências e restrições do próprio doador.

Com base nessa visão, a filantropia não deve ser uma ação esporádica, mas sim uma área do planejamento financeiro de cada indivíduo ou família; um planejamento holístico do uso do dinheiro que inclui investimentos, gastos e doações.

Como consequência de um planejamento e entendendo que o impacto que o doador deseja ver no mundo dificilmente se restringe a uma só organização ou a uma só causa, o portfólio de doações deve prezar pelo equilíbrio de abordagens e diversidade de organizações apoiadas.

Assim, as diferentes abordagens de trabalho encontradas no setor social – compra de atendimento, aumento de capacidades, construção de infraestrutura e campanhas por mudanças – devem  ser integradas ao  portfólio filantrópico dos indivíduos e famílias.

O desafio da filantropia não é a batalha entre cabeça e coração, mas sim criar uma parceria harmoniosa entre os dois.

Conte conosco para planejar as suas doações!

filantropiadeportifolio_sitawi

Reflexão
Visão e Causas

  • Por que estamos considerando fazer filantropia? Quais desafios sociais e ambientais nos movem?
  • Quais os valores que compartilhamos entre e dentro de gerações de nossa família? Há setores, temas ou estratégias que particularmente se alinham com esses valores?
  • Quais desses identidade, valores e o impacto que desejamos ter no mundo e podem também ser apoiados por nossas atividades de consumo, trabalho e investimento?

 

Definições
Objetivos e Condições de Contorno

  • Qual nossa definição de contribuição significativa para o tema?
  • Quais são os nossos “pontos críticos” emocionais e operacionais à medida que consideramos fazer filantropia?
  • Quais as ferramentas à nossa disposição para impacto social?
  • Que ativos/ fluxos financeiros dispomos? Qual nossa meta de alocação filantrópica de longo prazo?
  • Quais as restrições legais e os incentivos fiscais que podem alavancar nossa ação filantrópica?

 

Criação de estratégias
Definição de Abordagens

  • Quais os públicos, quais territórios, quais setores e com que temporalidade queremos trabalhar?
  • Que tipos de doação nos darão a melhor chance de alcançar os nossos objetivos desejados e, ao mesmo tempo, atender às nossas necessidades?
  • Das diferentes abordagens de atuação – compra de atendimento, aumento de capacidades, desenvolvimento de infraestrutura e campanhas por mudanças -, quais serão contempladas e como?
  • Como alocar nossos recursos no curto, médio e longo prazos?

 

Implementação
Avaliação e Seleção de Parceiros

  • Quais são as organizações que trabalham com as causas, abordagens, públicos e prazos definidos?
  • Como avaliar a credibilidade e eficiência dos parceiros elegíveis?
  • Dados nossos objetivos e necessidades específicos, quantos são os parceiros que devemos apoiar?

 

Acompanhamento
Apoio e Melhora de Desempenho

  • Estamos bem equipados para gerenciar nossas doações após tê-las feito?
  • Como alavancar capital de terceiros para aumentar os recursos disponíveis para as organizações?
  • Quais recursos não  financeiros poderiam ser aportados nas organizações em nosso portfólio?
  • Quais padrões que podemos utilizar para mensurar e monitorar o impacto de nossa filantropia e seus objetivos específicos?
  • Quais dados nos trariam a visão do desempenho da nossa filantropia? Como obter tais dados sem prejudicar as operações das organizações?

 

 

Parcerias

abcrjuntos-c-vocearapyau
doareacaochegadoescola-de-noticias
benfeitoriatam